Home / VÍDEOS / COMO OS PIORES MOMENTOS DE NOSSA VIDA NOS TORNAM QUEM SOMOS

COMO OS PIORES MOMENTOS DE NOSSA VIDA NOS TORNAM QUEM SOMOS

COMO OS PIORES MOMENTOS DE NOSSA VIDA NOS TORNAM QUEM SOMOS – por Andrew Solomon

O escritor Andrew Solomon passou sua carreira contado histórias das dificuldades de outras pessoas. Agora ele vira-se para si mesmo, trazendo-nos a uma infância de luta, enquanto apresenta contos das pessoas corajosas que ele tem encontrado desde então. Numa palestra comovente, sincera e às vezes francamente engraçada, Solomon faz um poderoso chamado à ação para criarmos significado a partir de nossas maiores lutas.

Andrew Solomon é um escritor nova-iorquino que escreve sobre política, cultura e psiquiatria. Ele já escreveu para publicações como The New York Times, The New Yorker e Artforum.

Tornou-se bastante conhecido após publicar O Demônio do Meio-Dia, uma obra sobre depressão – doença enfrentada pelo próprio autor. O livro tornou-se mundialmente reconhecido, vencendo o National Book Award de 2001 e se tornando o finalista do Pulitzer Prize de 2002. Atualmente, a obra já foi traduzida para mais de 24 idiomas.

”Senti um féretro em meu cérebro, E carpideiras indo e vindo A pisar, a pisar, até eu sonhar Meus sentidos fugindo. E quando tudo se sentou, O tambor de um ofício, Bateu, bateu, até eu sentir Inerte o meu juízo. E eu as ouvi, erguida a tampa, Rangeram por minha alma com Todo o chumbo dos pés, de novo, E o espaço dobrou, Como se os céus fossem um sino E o ser apenas um ouvido, E eu e o silêncio, a estranha raça Só, naufragada, aqui. Partiu-se a tábua em minha mente, E eu fui cair de chão em chão, E em cada chão havia um mundo E terminei sabendo, então.”

Conhecemos a depressão por metáforas. Emily Dickinson a convertia em linguagem, Goya, em imagem. Metade do propósito da arte, é descrever esses estados icônicos.

Veja Também

ALEGRIA DA MUDANÇA

ALEGRIA DA MUDANÇA – por Globo Repórter Brasileiro abandona carreira de sucesso nos EUA para …